Voltar à listagem

3 AUG 2018

lalalalalal

A metodologia social return on investment, doravante denominada SROI, é uma metodologia que permite atribuir valor monetário a mudanças sociais, traduzindo o impacto social em quantia monetária

A SROI tem por base a teoria da mudança.

Mas o que é a teoria da mudança? Ao contrário do que o nome poderia induzir, a teoria da mudança é uma abordagem bastante prática que explicita a relação entre entradas (inputs), saídas (outputs) e resultados (outcomes).

A primeira fase é a análise da situação, ou seja, identificar o problema social, os ativos que a organização possui e quem são os beneficiários e restantes stakeholders.

A segunda fase identifica o resultado de longo prazo que se quer atingir. Assim, contrariamente à maioria das metodologias, “começa-se pelo fim”.

As fases seguintes apresentam as mudanças necessárias para que esse resultado seja alcançado, assim como as atividades associadas a essas mudanças.

Por último, explicitam-se os pressupostos utilizados para toda a metodologia.

 

Mas o que tem a SROI a ver com a teoria da mudança?

A SROI é uma metodologia que permite atribuir valor monetário a mudanças sociais, traduzindo o impacto social em quantia monetária. Tem por base a teoria da mudança, na medida em que também analisa a situação/contexto (problema, beneficiários, stakeholders), identifica o objetivo de longo prazo que se quer alcançar e desconstrói-o em mudanças de curto e médio prazos que têm de ocorrer (ou que ocorreram) para se atingir o objetivo final. Tudo isto tendo em consideração uma série de pressupostos.

O que a SROI acrescenta à Teoria da Mudança e a outras metodologias existentes para avaliar impactos sociais, é a monetização das mudanças. É, desde modo, calculado um valor monetário para cada mudança que resultará num valor monetário para o impacto social.

A SROI engloba 6 fases: na primeira é estabelecido o alcance e os stakeholders. A segunda fase diz respeito ao mapeamento dos resultados. Na terceira fase atribui-se valor aos resultados através da apresentação de indicadores para esses mesmos resultados e seleção de proxies (aproximações) financeiras para os monetizar. A fase seguinte refere-se à determinação do impacto, na qual se averigua o contrafactual (o que teria, de igual forma, ocorrido se a ação não tivesse sido realizada), a atribuição (a percentagem de resultados que se deve à contribuição de terceiros), o deslocamento (trade-off, ou seja quanto o resultado desloca outros resultados), caso exista, e o drop off (desgaste dos resultados), para depois se calcular o impacto através da seguinte fórmula:

(quantidade x proxy) – contrafactual – deslocamento – atribuição

A quinta fase da SROI é exatamente o cálculo da SROI, ou seja, o retorno social por cada euro investido.

A sexta e última fase trata-se de comunicar, usar e incorporar os resultados obtidos.

Precisa de saber o impacto social de uma iniciativa traduzido em valor monetário? Conte connosco!